Volkswagen Gol 2018 é chamado para recall (Foto: Divulgação)

 

A Volkswagen anunciou nesta segunda-feira (12) recalls que envolvem 15 unidades de Gol, Voyage e Up! (ano 2018), que possuem defeito na suspensão, e outras duas unidades do Golf (ano/modelo 2015), por causa de problema no airbag.

 

 

CHASSIS ENVOLVIDOS

  • Gol e Voyage (2018) - JT091835 a JT05117
  • Up! (2018) - JT547691 a JT550181
  • Golf (2015) - WVWHD6AU9FW102186 e WVWHE6AU2FW105363

 

Gol, Voyage e Up!

Os proprietários de veículos ano 2018 destes modelos devem agendar visita a uma concessionária para trocar as porcas de fixação do pivô da suspensão dianteira esquerda.

Segundo a fabricante, existe a possibilidade do pivô se soltar, com risco de acidentes graves. O reparo gratuito deve levar cerca de 30 minutos.

Volkswagen Move Up! (Foto: Divulgação)

 


Golf

Apenas duas unidades do Golf, ano 2015, estão envolvidas neste chamado por causa de um problema similar ao dos airbags da fabricante japonesa Takata, que podem lançar fragmentos da carcaça contra os passageiros ao serem acionados.

De acordo com o comunicado, o dispositivo instalado no Golf também pode lançar fragmentos contra os passageiros, com risco de morte, mas eles foram feitos pela empresa ARC.

Os "airbags mortais" da Takata foram ligados a pelo menos 22 mortes no mundo. A substituição gratuita do equipamento frontal do passageiro deve levar cerca de 1 hora.

 

 

 

 

Fonte: Auto Esporte/Globo

023A Fiat anunciou nesta quarta-feira (20) que a nova geração da Ducato será lançada no Brasil em janeiro. A van passa a ser importada do México, e terá o mesmo motor 2.3 diesel de 127 cavalos e 32,6 kgfm que o modelo atual.

A geração da Ducato que se despede do Brasil ainda pode ser encontrada no site da marca, em versões passageiro para 15 pessoas (a partir de R$ 133.370) e carga, com capacidade de 7,5 m³, 9 m³, 10 m³ ou 12 m³, com preços começando em R$ 111.190.

No entanto, a produção deste modelo foi encerrada em dezembro do ano passado, na fábrica da Iveco em Sete Lagoas (MG). Na ocasião, a Fiat afirmou que venderia o estoque e pensaria em uma solução para continuar com o modelo no país.

Ainda não há informações sobre as versões escolhidas para o Brasil ou preços. No entanto, no México, onde a van é feita, não existe opção para transportar passageiros, apenas cargas, com compartimentos de 9,5 m³, 11,5 m³ e 15 m³.

106Interior da nova Fiat Ducato (Foto: Divulgação)

Fonte: Auto Esporte/Globo

A Jeep anunciou um recall de 6.537 unidades do Renegade, ano/modelo 2016 a 2018, por causa de uma falha na chave de setas, e 2.329 unidades do Cherokee, ano/modelo 2012, devido a um problema no módulo que controla airbags, cintos e encostos de cabeça ativos.

Os proprietários dos modelos Renegade afetados devem agendar o conserto gratuito em uma concessionária, mas para o defeito no Cherokee ainda não há solução. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 703 7150.

CHASSIS ENVOLVIDOS

renegadeJeep Renegade

Ano/modelo: 2016 a 2018
Numeração: 988611101GK101234 a 98861115YJK140582 (não sequencial)
Problema: seta pode não funcionar sem o condutor perceber
Reparo gratuito: atualização de software
Tempo: 1 hora

jeep 2Jeep Cherokee Limited (Foto: Divulgação)

Jeep Cherokee

Ano/modelo: 2012
Numeração: CW107403 a CW193703 (não sequencial)
Problema: acendimento da luz espia no painel e não funcionamento dos encostos de cabeça ativos
Reparo gratuito: ainda não há solução para o problema
Tempo: os proprietários serão convocados quando houver solução

Importância do recall

Não existe recall por defeito que não seja sério. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o chamado deve ser feito quando houver um defeito de fabricação que coloque em risco a vida do usuário.

Uma vez anunciado o recall, não existe limite de data para fazê-lo. O que pode ocorrer é a montadora determinar uma data de início do atendimento, e não uma para o fim.

Qualquer problema como demora no agendamento, lentidão no reparo e mau atendimento deve ser denunciado no Procon local. Os consertos devem ser totalmente gratuitos.

Fonte: Auto Esporte/Globo

IPVA 2018O governo de São Paulo divulgou neste sábado (21) o calendário para o pagamento do calendário do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018. Os valores venais dos veículos deverão ser divulgados em novembro.

Os contribuintes podem pagar o imposto em cota única no mês de janeiro, com desconto de 3%; em parcela única, sem desconto, em fevereiro; ou parcelar o tributo em três vezes (nos meses de janeiro, fevereiro e março), de acordo com o final da placa do veículo.

Os proprietários devem respeitar o calendário de vencimento do IPVA 2018 por final de placa.
índice

Para efetuar o pagamento do IPVA 2018, basta contribuinte se dirigir a uma agência bancária credenciada com o número do Registro Nacional de Veículo Automotor (Renavam) e efetuar o recolhimento no guichê de caixa, nos terminais de autoatendimento, pela internet ou débito agendado, ou outros canais oferecidos pela instituição bancária.

índice 2

O prêmio do seguro obrigatório DPVAT deve ser recolhido de forma integral junto com a primeira parcela do IPVA ou juntamente com a cota única. No caso de parcelamento do prêmio em três vezes, o que somente é permitido para motos e similares, vans, ônibus e micro-ônibus, as parcelas do prêmio devem ser recolhidas de acordo com o calendário de vencimento do IPVA.

O valor arrecadado com o IPVA, após dedução da parcela do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), é repartido 50% para o Estado e 50% para o município de domicílio ou residência do proprietário.


Fonte: G1/Globo

fabrica chery 10A CAOA assumiu nesta segunda-feira (13) metade da operação da montadora Chery no Brasil. A parceria tem a expectativa de reverter o fracasso de vendas e metas, impostas pela multinacional chinesa, para atuação no Brasil. O Sindicato dos Metalúrgicos, que representa os trabalhadores da empresa, está otimista sobre o futuro da planta.

A fábrica aberta em 2014, no início da crise econômica, colocou como meta até 2018 ter 3% do total de vendas de carros 0Km no país e 3 mil funcionários. No mês passado, a empresa fechou o balanço com 0,2% de mercado e emprega 400 empregados. Por dia são produzidos 30 carros, abaixo da capacidade operacional da fábrica - que produz os modelos QQ e Celer.

Além disso, o histórico da unidade foi marcado por greves e ociosidade. A última paralisação, no mês passado, durou 30 dias. Sindicato e Chery travaram uma batalha por reajuste nos salários dos operários. O cenário, para os trabalhadores, era de incerteza.

Com as metas adiadas, a Caoa Chery, nova montadora nacional, pretende retomar o ritmo da fábrica. Para o grupo Caoa, assumir o controle acionário da Chery, vai possibilitar a introdução de movas tecnologias e novos produtos no mercado. A chinesa adiou no último mês o lançamento do Tiggo 2.

A Caoa tem sede em uma fábrica em Anápolis (GO), onde produz a marca Hyundai, além de uma rede de 180 concessionárias pelo país e que empregam 3,4 mil pessoas.

Investimento

O investimento anunciado pela nova empresa é de US$ 2 bilhões de dólares nos próximos cinco anos.

Mas, mais que o valor, a união das empresas representa para os trabalhadores de Jacareí segurança. A Caoa Chery não fez nenhum anúncio específico sobre a planta, mas os trabalhadores e o sindicato avaliam que a parceria será positiva.

"Nos dá uma certa segurança porque conhecemos a CAOA. A CAOA já tem parceria com outra empresa. Espero que ela venha levantar a Chery e isso signifique emprego garantido", disse um empilhadeirista.

Para o diretor do sindicato Guirá Borba, o momento é bom para recuperação da montadora. "A Chery chegou ao Brasil em um momento de crise, de mercado automotivo em baixa. Agora essa fusão vem em momento de recuperação do mercado. A expectativa é grande para que a empresa aumente a produção, os investimentos e os postos de trabalho em Jacareí", disse.

A Chery informou que a partir de agora as informações sobre a montadora serão divulgadas pelo grupo CAOA.

Fonte: G1/Globo

oppama plant 02 sourceA Nissan anunciou nesta quinta-feira (19) que vai suspender toda a produção destinada ao mercado japonês, enquanto lida com um escândalo de inspeção crescente que já levou ao "recall" cerca de 1,2 milhão de veículos.

O anúncio foi feito semanas após a segunda maior fabricante japonesa admitir que equipes sem autorização adequada conduziam as inspeções finais em alguns veículos destinados ao mercado doméstico, antes que fossem enviados para as concessionárias.

Nesta quinta, ela disse que um terceiro investigador descobriu que a prática continuou em três das seis fábricas japoneses, mesmo após a tomada de medidas para encerrar a crise. O presidente culpou "velhos hábitos".

"Você poderia dizer que é fácil parar pessoas que não deveriam inspecionar de fazê-lo", disse o presidente da Nissan, Hiroto Saikawa, em coletiva de imprensa nesta quinta.

"Mas estamos tendo que tomar (novas medidas) a fim de interromper velhos hábitos que fizeram parte das operações rotineiras nas fábricas".

"O que é necessário é fazer nossas pessoas perceberem que o que eles achavam que era ok, na verdade, é ruim".

Neste mês, a Nissan anunciou o recall de cerca de 1,2 milhão de veículos produzidos e vendidos no Japão em 2014 e 2017 para reinspeção, após funcionários do governo descobrirem que algumas inspeções finais estavam sendo feitas por equipe não certificada para essa atividade.

Fonte: Auto Esporte

Página 1 de 32

Conecte-se com a gente!

Antes de sair, faça uma visita em nossas redes sociais!

Curta, compartilhe e faça parte da nossa história você também!

facebook azul youtube original

Oficinas Credenciadas

Área Restrita