fiat argo
A Fiat convocou nesta quinta-feira (7) o recall de 21.778 unidades do Argo, hatch lançado em junho. São quase todas as unidades do modelo, que teve, até novembro, 22.336 emplacamentos, segundo a federação dos distribuidores, a Fenabrave.

Veja números de chassis (não sequenciais) dos veículos envolvidos:

9BD358A42JYH10115 a 9BD358A9WJYH10215

Segundo a Fiat, um possível rompimento no chicote elétrico do volante do Argo pode fazer o airbag do motorista ser desativado ou, "em casos extremos", abrir sem motivo, "com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros".

Ainda de acordo com a marca, o chicote pode ser romper por ser esmagado pela cobertura do airbag.

A partir desta segunda (11), os proprietários dos carros envolvidos podem agendar a verificação e o reparo: se necessário, haverá a substituição do volante de direção completo, afirma a Fiat.

O tempo estimado para o conserto é de uma hora.

Dúvidas podem ser esclarecidas pela Central de Serviços ao Cliente Fiat, no telefone 0800-707-1000 ou no site www.fiat.com.br.


Fonte: Auto Esporte/Globo

Nova geração da Fiat Ducato (Foto: Divulgação)


A Fiat anunciou nesta quarta-feira (20) que a nova geração da Ducato será lançada no Brasil em janeiro. A van passa a ser importada do México, e terá o mesmo motor 2.3 diesel de 127 cavalos e 32,6 kgfm que o modelo atual.

A geração da Ducato que se despede do Brasil ainda pode ser encontrada no site da marca, em versões passageiro para 15 pessoas (a partir de R$ 133.370) e carga, com capacidade de 7,5 m³, 9 m³, 10 m³ ou 12 m³, com preços começando em R$ 111.190.

No entanto, a produção deste modelo foi encerrada em dezembro do ano passado, na fábrica da Iveco em Sete Lagoas (MG). Na ocasião, a Fiat afirmou que venderia o estoque e pensaria em uma solução para continuar com o modelo no país.

Ainda não há informações sobre as versões escolhidas para o Brasil ou preços. No entanto, no México, onde a van é feita, não existe opção para transportar passageiros, apenas cargas, com compartimentos de 9,5 m³, 11,5 m³ e 15 m³.

Interior da nova Fiat Ducato (Foto: Divulgação)

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Auto Esporte/Globo

 

Fiat Argo 1.0 Drive (Foto: Divulgação)

 

 

A Fiat convocou nesta quinta-feira (7) o recall de 21.778 unidades do Argo, hatch lançado em junho. São quase todas as unidades do modelo, que teve, até novembro, 22.336 emplacamentos, segundo a federação dos distribuidores, a Fenabrave.

Veja números de chassis (não sequenciais) dos veículos envolvidos:

  • 9BD358A42JYH10115 a 9BD358A9WJYH10215

Segundo a Fiat, um possível rompimento no chicote elétrico do volante do Argo pode fazer o airbag do motorista ser desativado ou, "em casos extremos", abrir sem motivo, "com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros".

Ainda de acordo com a marca, o chicote pode ser romper por ser esmagado pela cobertura do airbag.


A partir desta segunda (11), os proprietários dos carros envolvidos podem agendar a verificação e o reparo: se necessário, haverá a substituição do volante de direção completo, afirma a Fiat.

O tempo estimado para o conserto é de uma hora.

Dúvidas podem ser esclarecidas pela Central de Serviços ao Cliente Fiat, no telefone 0800-707-1000 ou no site www.fiat.com.br.

 

 

 

 

Fonte: Auto Esporte/Globo

A indústria automobilística está em recuperação e vai acelerar o ritmo de crescimento no ano que vem, estimou nesta terça-feira, 19, Antonio Megale, presidente da Anfavea, entidade que abriga as montadoras instaladas no País.

Ao participar de fórum promovido pela revista Quatro Rodas, Megale evitou antecipar números sobre o desempenho do setor em 2018, o que só deve ser feito pela Anfavea em janeiro. Mas disse que o crescimento do mercado deverá ser superior ao deste ano, quando as previsões da entidade apontam a um avanço de 7,3% das vendas de veículos.

 

Resultado de imagem para crescimento do mercado automotivo

 

Revelando confiança num aumento dos emplacamentos superior a 10%, o executivo assinalou que a tendência é que o setor volte a se aproximar de níveis próximos de dois dígitos de crescimento no próximo ano.

Megale citou indicadores econômicos como a queda dos juros, a redução do desemprego e o fim da recessão ao justificar sua visão de que o pior momento da crise ficou para trás. "Todos esses indicadores estão nos dando a confiança de que a retomada começou e que o fim da crise está próximo", comentou o presidente da Anfavea.

Após participar do fórum, ele disse que está chegando o momento de renovação da frota de carros comercializados em 2013, quando os brasileiros compraram mais de 3,7 milhões de veículos - 68% a mais do que o previsto a este ano - e observou que a economia vem se descolando da política, de forma que as eleições de 2018 não devem contaminar o ambiente de negócios.

Conforme o titular da Anfavea, o ritmo diário de vendas neste mês está superando em cerca de 5% a média de agosto: de 9,1 mil veículos por dia útil, a melhor média do ano. "Setembro não deve ultrapassar a marca de 10 mil veículos por dia, mas deve ficar acima de agosto", comentou Megale, ponderando, porém, que o total deste mês pode ficar abaixo de agosto por conta do calendário com menos dias de venda.

Megale disse que, dado o uso de veículo relativamente baixo - um veículo a cada cinco brasileiros -, o Brasil tem potencial de voltar a ser um dos cinco maiores mercados do mundo, mas levará muito tempo para recuperar os volumes vendidos antes da recessão. Em seu recorde, a indústria automobilística vendeu 3,8 milhões veículos em 2012. Nos quatro anos seguintes, esse número só caiu.

A noticia positiva, conforme Megale, é que a produção, embalada não só pela recuperação do consumo interno, mas também pelas exportações, deve ultrapassar a marca de 3 milhões de veículos em um ou dois anos, saindo de 2,7 milhões de unidades previstas para 2017. Essa retomada de atividade vai ajudar o setor a usar melhor sua capacidade instalada, que mostra hoje uma ociosidade ao redor de 50%.

Megale afirmou que as montadoras devem voltar a apresentar abertura de novas vagas de trabalho neste mês, após fechar agosto com a criação de 1,1 mil postos de trabalho.

(Eduardo Laguna)

 

 

 

Fonte: Oficina Brasil (http://oficinabrasil.com.br)

Conecte-se com a gente!

Antes de sair, faça uma visita em nossas redes sociais!

Curta, compartilhe e faça parte da nossa história você também!

facebook azul youtube original

Oficinas Credenciadas

Área Restrita